Defensoras e Defensores não param: Atuação em Londrina/PR

No mês de março, a defensora pública do Paraná Elisabete Arruda, que atua na área da infância infracional e execução penal, em Londrina, coordenou um mutirão para analisar os processos de 103 adolescentes privados de liberdade.

A ação aconteceu de acordo com a Recomendação conjunta 01/2020 da Defensoria Pública do Paraná, do Tribunal de Justiça do Paraná, do Ministério Público do Paraná e da Secretaria de Estado da Justiça, Família e Trabalho, e da Recomendação 62/2020 do Conselho Nacional de Justiça.

“No mutirão analisamos todos os processos dos adolescentes em conflito com a Lei privados de liberdade, formulando pedidos de relatórios multidisciplinar, suspensão e reavaliação da medida socioeducativa, além de pedidos de revogação de internação provisória. No começo de abril, dos 103 casos analisados, somente 35 adolescentes continuavam nos Censes (Centros de Socioeducação) e na casa de semiliberdade”, explicou Elisabete.

O mutirão faz parte das ações da Defensoria Pública do Paraná de combate ao coronavírus. Os adolescentes liberados voltaram para suas casa e famílias.