Neste mês de outubro, as indicações culturais foram feitas pelas defensoras públicas Lívia Brodbeck e Talita Devos Faleiros

Livro: Sociedade do cansaço
Autor: Byung-Chul Han

O filósofo sul-coreano Byung-chul Han aborda no livro as consequências psicológicas do século 21, causadas pelo exagero do otimismo. Segundo o autor, essa prática exige dos indivíduos uma alta produtividade e maior desempenho nas suas atividade.

“O autor trata a maneira como a sociedade está desenvolvendo diversos distúrbios psicológicos e assistindo uma epidemia de doenças relacionadas ao sofrimento psíquico em virtude de um ‘excesso de positividade’, através das estratégias de discursos motivacionais. Ele demonstra como esse adoecimento geral traz efeitos perniciosos para a humanidade”, explicou Lívia.

Livro: A Farsa da Boa Preguiça
Autor: Ariano Suassuana

A obra, escrita em 1960, é um texto de uma peça de teatro, dividida em três atos, que envolve drama, romance e comédia. As histórias são inspiradas em acontecimento cotidianos do Nordeste e em contos tradicionais da região.

“Não se tem o hábito de ler textos de teatro, mas talvez seja uma das modalidades mais prazerosas de apreciar, é um caminho sem volta. No caso, a peça apresenta uma crítica incrível sobre relações amorosas e de vizinhança num cenário nordestino. Ao mesmo tempo, nos obriga a refletir sobre alguns valores: produtividade no trabalho e riqueza econômica contrapondo ao ócio leve de um artista”, ressalta Talita.

“Além disso, em tempos de um contexto nacional tão pesado, boas risadas são garantidas com essa obra que somente Ariano Suassuana, como bom Paraibano ufanista, poderia proporcionar”, complementa.