O Defensor Público coordenador do Nupep, André Giamberardino – Foto: Ascom/DPPR

Os Defensores André Giamberardino e Júlio César Duailibe Salem Filho, coordenador e auxiliar, respectivamente, do Nupep (Núcleo de Política Criminal e Execução Penal) apresentaram ontem, dia 9 de abril, na Assembleia Legislativa do Paraná, um projeto que melhora o atendimento a vítimas de crimes violentos.

O objetivo da iniciativa é oferecer um atendimento mais amplo, humanizado e personalizado às vítimas, algo que vá além do atendimento jurídico. Para desenvolver o projeto, a Defensoria irá atuar em parceria com outras entidades e instituições.

“A Defensoria, através do Nupep, vai fazer um atendimento inicial, prestando esclarecimentos jurídicos. Depois é feito o encaminhamento para as instituições parceiras”, explicou o Defensor André.

Um acordo técnico já foi firmado com a Universidade Tuiuti do Paraná para que as vítimas recebam atendimento psicológico gratuito feito por professores e alunos do curso de psicologia.

Foto: Ascom/DPPR

Também foram assinados termos de cooperação com o TJPR (Tribunal de Justiça do Paraná), com o objetivo de qualificar as medidas alternativas, chamadas também de medidas socialmente úteis, e encaminhar as situações envolvendo vítimas de crimes violentos para a construção de novas práticas restaurativas com o auxílio do TJPR e do Ministério Público.

Participaram do evento o Defensor Público-Geral, Eduardo Abraão, o diretor da Escola do Legislativo, Dylliardi Alessi, o 2° vice-presidente do TJPR, desembargador José Laurindo de Souza Netto, a procuradora de justiça do Estado (representando o Ministério Público estadual), Samia Bonavides, a coordenadora do curso de psicologia da Universidade Tuiuti, Paula Gomide, e o membro da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos da OAB/PR, Walmir de Oliveira Lima Teixeira.

Foto: Ascom/DPPR