A advogada Melina Fachin é uma das dez finalistas para assumir a secretaria executiva da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH). Ela é do Paraná e a única brasileira concorrendo ao cargo.

Melina é doutora em Direito Constitucional e mestre em Direito pela PUC-SP. É também especialista em Direitos Humanos pelo L’Institut international des droits de l’Homme, Strasbourg, FR. Já foi presidenta da Comissão de Direitos Humanos da OAB Paraná, da Global Business and Human Rights Scholars Association, autora e coordenadora de inúmeras obras em direitos humanos.
É muito atuante na defesa e promoção dos direitos humanos, com grande destaque nas questões de gênero.

A lista dos finalistas foi divulgada pela CIDH em dezembro de 2020. Agora, a próxima etapa é uma consulta pública, até sexta-feira, dia 22 de janeiro, com a participação dos Estados membros da Organização dos Estados Americanos (OEA) e da sociedade civil para escolha de um nome para preencher o cargo.

A CIDH é um órgão que faz parte da Organização dos Estados Americanos (OEA) e que tem como objetivo desenvolver ações que promovam e protejam os direitos humanos no continente americano.

A ADEPAR (Associação das Defensoras Públicas e Defensores Públicos) apoia e deixa aqui registrado o orgulho de ter uma mulher brasileira entre as finalistas.

Para participar da consulta pública, acesse o link https://linktr.ee/adeparpr