Aconteceu hoje, dia 13 de agosto, as eleições para a ouvidoria-geral externa da Defensoria Pública do Paraná. Foi eleita, pelo Conselho Superior da instituição, para o mandato 2021/2023, Karollyne Nascimento, a primeira mulher trans que ocupará o cargo.

“As expectativas para assumir o cargo são as melhores possíveis. Tudo que eu mais quero nessa gestão é mostrar que as pessoas trans também têm capacidade de ocupar estes espaços. É uma conquista pessoal mas também para todas e todos que eu represento”, destacou Karollyne. 

“Ver três mulheres tão potentes, fortes e com tantas vivências como a Karollyne, a Eliza e a Andreia concorrendo à Ouvidoria, emociona e nos inspira. Parabenizo à Karollyne pela vitória, que foi um reconhecimento de toda sua trajetória de luta pelos direitos humanos, que já encontrou no seu caminho a Defensoria Pública por diversas vezes, e pela importância da representatividade trans”, ressaltou a presidenta da ADEPAR (Associação das Defensoras Públicas e Defensores Públicos do Paraná), Ana Caroline Teixeira.

Durante a sua trajetória, Karollyne coordenou o TransGrupo Marcela Prado, em Curitiba, no Paraná. Ela também participou do desenvolvimento de ações junto com a Defensoria Pública do Paraná em pautas que envolveram a população trans do estado.