Você já ouviu falar de um projeto chamado “Dando a Letra”, da cidade de Umuarama?

O “Dando a Letra” é uma iniciativa que tem o objetivo de conscientizar e educar jovens que cumprem medidas socioeducativas por meio da arte e da educação.

O projeto foi criado pela defensora pública do Paraná Ana Luisa Imoleni Miola e pelo psicólogo da DPE-PR (Defensoria Pública do Paraná) Clodoaldo Porto Filho

A ideia da iniciativa é oportunizar aos jovens momentos de reflexão e aprendizado através da interação com livros, obras de arte, músicas e filmes que foram previamente selecionados por professores do IFPR (Instituto Federal do Paraná) que são colaboradores do projeto.

“O objetivo é proporcionar a esses adolescentes leituras críticas e reflexivas, sob a perspectiva do caráter pedagógico dessas medidas. Trabalhamos com grupos de cinco adolescentes, em cinco encontros semanais com duração mínima de uma hora”, explica a defensora Ana.

“Entendemos que a leitura tem um potencial enorme na transformação de vida desses adolescentes, pois auxilia na forma das pessoas verem e interpretarem o meio social onde elas estão inseridas. Esperamos também que a iniciativa colabore para uma maior permanência destes adolescentes na escola, que é um dos grandes gargalos da socioeducação”, acrescenta o psicólogo Clodoaldo.

Os adolescentes que participam do projeto podem ter remição de 2/3 da medida de prestação de serviços à comunidade. Para os casos que envolvem a medida de liberdade assistida, as atividades serão consideradas na avaliação do cumprimento da medida pela equipe técnica do CREAS (Centro de Referência Especializado de Assistência Social).

São apoiadores do projeto os representantes do Poder Judiciário, através do magistrado Leonardo Marcelo Mounic Lago; do Ministério Público, pelos promotores de justiça Adenilson de Barros de Albuquerque e Samuel Ronobo Soares e pela promotora Fernanda Bertoncini Menezes; os professores de língua portuguesa do Instituto Federal do Paraná – Campus Umuarama; e do Ministério Público do Trabalho em Umuarama, pelos procuradores Diego Jimenez Gomes e André Vinicius Melatti.