Neste mês de junho, as indicações culturais foram feitas pelos defensores públicos André Giamberardino e Marcelo Diniz.

Livro: As cidades invisíveis
Autor: Italo Calvino

O livro apresenta minicontos, em prosa poética, que se passam no século 13. Na obra, o autor encarna o desbravador Marco Polo, que, após viajar durante 30 dias, chega até o império de Kublai Khanm. Lá, Marco Polo narra as belezas, os aprendizados e as descobertas da sua viagem ao imperador Khanm.

“É um dos meus livros favoritos. Destaco um trecho que diz muito sobre nossa atuação na Defensoria Pública: “Marco Polo descreve uma ponte, pedra por pedra. – Mas qual é a pedra que sustenta a ponte? – pergunta Kublai Khan. – A ponte não é sustentada por esta ou aquela pedra – responde Marco – mas pela curva do arco que estas formam. Kublai Khan permanece em silêncio, refletindo. Depois acrescenta: – Por que falar das pedras? Só o arco me interessa. Polo responde: – Sem pedras o arco não existe” (…)”, ressaltou André.

Livro: A trilogia de Nova York
Autor: Paul Auster

O livro é a narrativa de três romances que se passam na cidade de Nova York. A obra mistura drama, suspense e mistério policial. As histórias, que se complementam, apresentam personagens que refletem sobre autoconhecimento e o local onde vivem.

“É um romance policial atípico, que, junto com “Crash”, de JG Ballard, problematiza questões típicas da modernidade a partir de fórmulas tradicionais do romance. No livro, o autor apresenta três novelas com a estrutura de romances noir, na qual o tema da identidade (e da perda dela) estão sempre presentes. Além disso, a obra é uma pérola de pistas falsas e verdadeiras”, explicou Marcelo.