Neste mês de janeiro, as indicações culturais foram feitas pela defensora pública Patrícia Rodrigues Mendes e pelo defensor público João Victor Longhi

Livro: A vida mentirosa dos adultos
Autora: Elena Ferrante 

A obra aborda as descobertas da adolescente Giovanna sobre a realidade da vida adulta. Ao longo da narrativa, a jovem vive experiências que apontam para reflexões sobre desafios, superações e a importância do tempo. 

“Esse livro é uma bela forma de fugir um pouco da realidade tão pesada que tem nos cercado. A narrativa da autora é envolvente e nos faz devorar o livro. A obra conta a história de uma jovem que, logo no início da adolescência, se dá conta de que a vida que lhe parece confortável e perfeita, na verdade, é uma mentira. É um ótimo livro para ler num feriado prolongado ou até mesmo num final de semana”, ressaltou Patrícia. 

Série: Black Mirror
Autores: Charlie Brooker, Jesse Armstrong, William Bridges, Rashida Jones, Konnie Huq, Michael Schur

Exibida pela Netflix, desde 2015, a série britânica é composta por episódios independentes que abordam temas relacionados ao uso de tecnologias e ao comportamento humano.

“É uma série distópica e, supostamente, futurista, mas que na verdade trata da nossa realidade e da nossa relação com a tecnologia. Como defensor da área de família, há muitas perspectivas de como a tecnologia impacta na vida dos casais e das famílias. Muitos episódios apresentam questões importantes que envolvem direitos humanos e princípios constitucionais básicos. Vale muito a pena ver”, explicou João.