ADEPAR Cultural: Indicações do mês de março

Em comemoração ao Dia Internacional da Mulher (08/03), as indicações culturais deste mês de março foram feitas pelas defensoras públicas Caroline Nogueira Teixeira de Menezes e Mariana Martins Nunes (Coordenadora do Núcleo de Promoção e Defesa dos Direitos da Mulher).

Livro: Mulheres que correm com os lobos
Autora: Clarissa Pinkola Estés

No livro, publicado em 1992, a psicanalista Clarissa Pinkola Estés aborda mitos e histórias que falam do arquétipo da mulher selvagem. A autora faz uma analogia entre mulheres e lobas.

“É um livro que nos convida a rever a nossa história e o nosso papel enquanto mulheres, sobretudo no contexto de uma sociedade machista e patriarcal que ainda vivemos. Nesse ponto, a autora fala sobre a necessidade do encontro com o arquétipo da mulher selvagem que, segundo ela, faz parte de todas. Ela aborda características como a força, a intuição e a criatividade feminina”, ressaltou Caroline.

Livro: Minha carne: diário de uma prisão
Autora: Preta Ferreira

Publicado em 2020, o livro é um relato dos 108 dias que a ativista Preta Ferreira ficou presa. Ao longo da obra, a autora aborda as características do sistema prisional brasileiro e compartilha histórias de mulheres que conheceu durante esse período.

“O livro é um retrato genuíno do feminismo negro e popular exercido na prática, em que conceitos como interseccionalidade e dororidade se fazem palpáveis, e em que a luta contra as iniquidades e injustiças sociais está impregnada na batalha pessoal da autora em provar sua inocência. Presa injustamente por sua atuação na militância do Movimento Sem-Teto do Centro (MSTC), Preta Ferreira denuncia a realidade brutal das prisões, assim como o racismo, o machismo, a LGBTfobia e o conflito de classes, que agravam a violência no país e atravessam as suas minorias, clientela preferencial da Justiça Criminal brasileira”, explicou Mariana.